02/10/2018

[Report] Silveira Rock Fest VI

Foi mais uma vez, em ambiente de grande convívio e camaradagem, que uma pequena multidão rumou ao Casal da Silveira para um belo dia de concertos (15-09-2018).

Num sitio que começa a ser pequeno para tanto público, pudemos contar com as excelentes prestações dos All Against​, Inner Blast​, Prayers Of Sanity​ , Dollar Llama​ e The Temple​. 
A SFTD Radio esteve novamente presente no Silveira Rock Fest, e não poderíamos de deixar algumas palavras, apesar de estarmos também ocupados com uma banca no Mercado do Metal no recinto.


Abrindo o certame com uma thrashalhada de arrepiar os pelos da nuca, os All Against mostram querer afirmar-se como uma força sólida no meio, muito resultante do salto qualitativo demonstrado no novo EP "Feed The Machine" lançado entretanto.

Os Inner Blast confirmaram mais uma vez ser uma banda que não desilude ninguém, desde o fã mais extremo até aos adeptos de sonoridades mais melódicas, com uma inegável qualidade e com o esforço extra de superar a saída da teclista fundadora.

Até aqui o maior adversário era o intenso calor se fez sentir, e que muito dificultava a presença permanente no recinto, tendo que ser alternada com umas quantas idas ao bar para refrescar.

As bandas da tarde sofreram também um pouco com isso, mas como quem corre por gosto não cansa, conseguiram ultrapassar perfeitamente essa dificuldade.

Os thrashers algarvios Prayers of Sanity pegaram o boi pelo cornos e do calor fizeram da sala um autêntico caldeirão de corpos em movimento, com a intensidade que os caracteriza e o instantâneo mosh pit que geram. O circle pit intenso ao longo do concerto funcionou até como ventoínha para refrescar a malta. Sólidos e competentes, angariam mais uns quantos fãs.

Já com a noite caída, os Dollar Lama "subiram" ao palco para mostrar porque são actualmente das melhores bandas nacionais ao vivo na actualidade. 
O poder demonstrado ao longo de todo o concerto, com grandes malhas, algumas bem orelhudas e que puxam ao canto em côro, traduz uma experiência bem mais intensa do que o esperado após a audição do disco. As composições perfeitas estão lá, mas crescem de uma forma inimaginável ao serem executadas daquela forma e com aquela energia que contagia o mais comum dos mortais. 

Pensávamos que já não valeria a pena vir mais ninguém actuar depois daquilo...mas enganámos-nos. 

Os The Temple deram talvez o melhor concerto que me lembro de assistir deles. Assumindo-se como os cabeça-de-cartaz e mais veteranos, subiram a fasquia para níveis que pensava já não serem exequíveis nesta fase da banda. Uma setlist enorme, onde desfilaram todos os grandes malhões da sua carreira, e um público que, incansável, participou como se não houvesse amanha e quis sempre mais, com a banda a responder na mesma moeda. 
A actuação, com cerca de vinte músicas tocadas, passou num ápice, e derreados e suados, as vítimas desta máquina trituradora, foram saído do espaço dos concertos com um largo sorriso na cara.

Da nossa parte, queremos dar os parabéns à organização ( Ricardo Matos​ e Bruno Rockn Raw​) e agradecer ao trabalho de toda a equipa do CDR Silveirense que tratou da hidratação e alimentação do público.

Em nota final questionamos no entanto se este modelo não estará já no limite, dada a quantidade de gente que compareceu e que não teve certamente a possibilidade de assistir aos concertos nas melhores condições, devido ao exíguo espaço e ao intenso calor. Desejamos toda a felicidade para esse crescimento futuro!

Texto e fotos: Nuno Santos (todas as fotos AQUI)

Veja também: