24/05/2016

[Report] SWR Barroselas Metalfest XIX (Dia 3)

Estamos já na fase final deste estrondoso evento e temos a cabeça a mil, mas este dia prometia ser mais um maravilhoso momento de música e de alegre convívio e assim foi!
Depois de uma noite em que a chuva veio por uns momentos arrefecer o ambiente no camping, o sol voltou a brilhar de manhã para não estragar a partida de Brutal Soccer com os fãs inscritos e que iria decorrer no inicio da tarde, no campo do ADB. Ainda com os vapores alcoólicos a subirem aos cérebros, deu-se uma bela e animada partida pois ouviam-se os aplausos e gritos eufóricos, vindos do campo de futebol mesmo ali ao lado! 

Dia 3
800 GONDOMAR de Rio Tinto com o seu punk rock com um toque de blues  cantado em português e o seu mais recente trabalho 'Circunvalação' que nos remeteu aos gloriosos anos 80 e os ingleses HEY COLOSSUS, com o seu álbum de 3 longas faixas 'All The Humans (Are Losing Control)' em estilo doom heavy rock psychedelic, com músicos de excelência e um vocalista a cantar desafinado, provocou uma estranhesa interessante no público, que se animou para a festa. Estas  foram as bandas que abriram na sala Arena o inicio deste dia.
De seguida fomos ver INFRA na Dungeon, um trio vindo de Lisboa com o seu death, doom/black metal e o seu mais recente EP 'Initiation on the Ordeals of Lower Vibrations' com  2 faixas lançado em vinil e seduziram-nos na sua escuridão e com os seus rituais metafísicos colocando o público em dark transe.

Foi a vez de VALKYRJA, vindos da Suécia, de subirem a palco na Abyss e iniciou-se uma brutal festa com a violência do seu black metal e a sua edição de 2013 'The Antagonist's Fire' com 7 faixas. 

Fizeram-nos entrar no mundo dos Vikins escandinavos fazendo-nos imaginar as assassinas guerreiras sobrenaturais, tal como o seu nome representa, a oferecerem as almas de guerreiros e saques sangrentos ao Deus Odin em Valhalla. Uma festa de guerra e sangue! Estes músicos dão-nos um misto de riffs groovy rock n roll com um extreme metal e um tremolo picking nas guitarras embrulhadas numas melodias frias e melancólicas, uma banda que nos arrasou com o seu blast beat infernal, deixando-nos exaustos.
Fomos jantar afim de recuperar forças e assistir ao final da festa de SERRABULHO.

Este quarteto de Vila Real popularizou-se no país com a sua apresentação carregada de ironia, sarcasmo, piadas, nonsense e com o seu happy grindcore/death metal! Foi tempo de ver desta vez na Abyss, máscaras no público onde vimos o Nemo, um alien verde, chapéus de vários animais, pillow trashing e alegria carnevilesca aos potes. Soltaram o seu mais recente trabalho 'Star Whores' e fizeram a folia! Com temas como nomes como 'Life of a Penis', 'Caguei na Betoneira', 'B.O.O.B.S. (Best Objects of Baby Sucking)' e 'Vaseline' destilaram o suor do recinto numa loucura eufórica, gritando 'Nós somos os Aborted e estamos aqui, caralho!', tendo assim direito a uma invasão de palco e culminando com uma versão dos Nirvana do 'Territorial Pissings', promovendo um blast nesta última noite de festa! Absolutamente excelente!
Depois deste "degredo" fomos beber umas "copas" enquanto subiam ao palco os SEVERE TORTURE vindos da Holanda. 
Foi um belo concerto de death metal poderoso e uma bela visão em palco do baixista Patrick Boleij com o seu looongo cabelo loiro, encantando as meninas que assistiam. Partilharam também temas novos, que se encontram em fase de gravação ao fim de 6 anos de interregno, criando uma grande expectativa por mais novidades desta banda que já existe desde 1997, depois do seu último lançamento em 2010 do álbum 'Slaughtered'!
Exaustos mas não ainda exangues, vimos o seguinte concerto com os ARCHGOAT.

Uma banda que volta a Barroselas vinda da Finlândia com a sua gélida e petrificante missa negra que teve 'direito' a uma bíblia ardente em palco, fazendo jus ao seu estilo death/black metal e ao seu 3º álbum 'The Apocalyptic Triumphator' considerado um dos melhores lançamentos do ano de 2015.
Uma sala cheia, com alguns ainda adrenalizados para fazer crowdsurfing irritando o público mais velho que queria prestar a sua reverência a esta banda criada em 1989!
Estes músicos experientes conseguiram enlevar-nos numa descarga massiva de death, vomitando uma carnificina sepulcral embebida numa orgia negra que escorria pelos ouvidos a dentro com riffs primitivos e blast beats, colados a um frenezim de speed e meio tempos, zumbindo com ritmos explosivos. Um brutal show que encheu as almas negras e semblantes carregados de ódio, dos presentes!

JUCIFER sobem a palco da Dungeon e volta a representação feminina ao evento, com estes americanos, já repetentes no SWR! 
Amber Valentine, vocalista, guitarrista, baixista e exímia na Arte do Desenhar e o baterísta Edgar Livengood ,deram um concerto de quase uma hora no estilo sludge/doom metal/drone e punk, apresentando-nos uma miscelânea de temas e o seu álbum 'District of Dystopia' de 2014.
Tal qual encantadores de serpentes embalaram, apaixonaram e ligaram à corrente o público, com letras que abordam a guerra, o niilismo e a opressão. Este som representado na guitarra distorcida e um pesado sludge rock misturado com uns samplers densos e profundos produziram uma interação perfeita em 4 tempos e bits duplos da bateria, uma união sem defeitos destes dois músicos. Mais um, excelente e de altíssima qualidade, concerto que assistimos!

De volta à Abyss, foi a vez dos INCANTATION! A banda de old school death metal , criada em 1989, está de volta ao evento, vinda dos E.U.A. 
Proporcionou um concerto blasfémico com uma rapsódia de temas que podem encontrar-se na sua mais recente edição em formato de Compilação de edição limitada o 'XXV' e no seu mais recente trabalho lançado em 2014 ‘Dirges of Elysium’. Fizeram-nos viajar no seu sombrio death metal com riffs de guitarra distorcidos e McEntee com os seus grunhidos diabólicos acompanhava o baixo que deambulava nas batidas da bateria, com letras cuspindo veneno, contra o cristianismo. Um momento profundamente demoníaco e poderoso destes músicos experientes, que nos deram um excelente show!

Os ingleses CONAN sobem a palco depois deste estrondoso concerto, com o seu caveman battle doom metal e fizeram estremecer as hostes com o seu 'Revengeance', acabado de editar em Janeiro de 2016.

O seu stoner doom inspirado na mitologia viking fizeram-nos marchar ao som das guitarras lânguidas e um ritmo frenético imparável. O terceiro álbum full-length de CONAN provavelmente deixou uma impressão mais profunda. As incursões nos tempos mais rápidos e vocais mais proeminentes ligam bem com a sua marca de brutalidade sludgy e pode até mesmo suavizar a sua imagem por trás de sua aparência bárbara em palco. Um belo concerto!






É tempo de VIOLATOR na Abyss! Mais um concerto muito ansiado por mim e pelo público e provou-se mais uma vez que o thrash é um estilo a que ninguém fica indiferente. 
Esta banda brasileira foi encantadoramente simpática e nos intervalos das músicas foi agradecendo à tribo a sua cumplicidade e falando dos eventos recentes no seu país, gritando palavras de ordem contra o fascismo, que tem vindo a instalar-se no por lá e na necessidade de mudança de mentalidade para que nunca mais volte a opressão da ditadura.
Assim trouxeram a palco o seu mais recente trabalho e os temas 'Atomic Nightmare',Toxic Death', 'Ordered to Thrash' e 'Destined to Die' e no fim 'United for Thrash' entre outros, foram o mote para um mosh pit contínuo só interrompido pelas palavras do vocalista e baixista Pedro "Poney Ret" Arcanjo que não nos deixava esquecer a grandeza do thrash metal old school e a capacidade que música tem de transmitir valores e alertar para as conspirações políticas que vão contra a democracia e a liberdade humana!
Um concerto inesquecível que há muito desejava ver e valeu cada segundo! Brutalíssimo!!

Ainda com o peito aos pulos fomos acalmar para a Arena e ver MISS LAVA, contudo não vimos o concerto até ao fim pois era hora de levantar ferro e seguir viagem para casa. 

O evento teria como última banda os portugueses SIMBIOSE e o seu grindcore para acabar a festa de concertos e continuaria no SWR Bar com mais atividades e música dos DJs convidados.
Ainda a tremer consegui conduzir até Ponte de Lima com a alma cheia e que me levou uns dias a recuperar da adrenalina vivida neste 4 dias de intensa
emoção.
Se nunca vieste ao SWR não poderás nunca saber o quão maravilhoso é este evento em TODOS os sentidos, a sensação de inclusão e de finalmente estares com a 'família' certa sem merdas nem censuras é de uma liberdade inestimável! Só quem vem, é que guarda no seu coração para sempre, esta experiência onde encontramos o NOSSO mundo ideal por uns dias!


Não há palavras que vão mais além do que, EXCELENTE EVENTO!
Até para o ano SWR, vamos aos XX!!

Texto: Stanana
Fotos: António Gaspar (todas as fotos aqui)

Veja também: