18/07/2015

[Report] Cannibal Corpse + Suicide Silence @ Paradise Garage


Como já tem sido habitual, o Paradise Garage tem acolhido grandes concertos na nossa capital, aos quais muitos de nós não se arriscam a perder. 

E assim foi na passada quarta-feira, uma fila perseguia esta pequena rua de Alcântara que gritava apenas a agonia da espera. 

Normalmente quando se pensa em bandas de abertura, não se imagina uma sala repleta de pessoas, porém isso não foi o caso desta noite. 


Os californianos Suicide Silence, foram os primeiros a pisar o palco, e mostraram que ser uma banda de abertura não é de todo algo inferior. 

Desde o primeiro segundo, até à última distorção, o público português vibrou com o DeathCore e a energia que a banda emanava.

"Wake Up" foi um dos pontos altos do concerto, em que a voz do público assumiu-se como primeiro plano, assim como os seus braços no ar. A atmosférica era contagiante, mesmo para aqueles que não tencionavam assistir o concerto.

"You Can’t Stop Me", "You Only Live Once" e "Fuck Everything" fizeram parte da setlist, e devo assegurar que aos fãs da banda de Christopher Garza que não puderam aparecer, perderam um concerto em grande!



O intervalo serviu apenas para uns minutos de descanso e para dar dois dedos de conversa, pois ainda se avizinhava um longo concerto pela frente.



A terminar a noite foram os míticos Cannibal Corpse. Já com mais de duas décadas de existência e concertos, vinham então mostrar ao público português que ainda aguentam a pedalada. 


Após a sua passagem no HardClub – Porto, em 2012 -, agora era a vez da nossa capital levar uma lavagem de puro Death Metal!


Começando com "Scourge of Iron" e passando para "Demented Aggression" - ambas do álbum Torture – fizeram logo com que o descanso do público acabasse por completo.

Ao longo do concerto tive a sensação de que o público aos poucos ia-se cansando ao ponto de não estar com a mesma energia, e vontade de assistir o concerto como havia sido em Suicide Silence



Porém, devo salientar que a prestação da banda de Corpsegrinder não foi nada “por aí além”, deixando muitos desiludidos.

O público só pareceu acordar com a tão conhecida "Hammer Smashed Face", que se seguiu depois de Devoured by Vermin que finalizou o concerto.



Foi mais uma noite de puro cansaço que acabava por ser também puro divertimento. 

Com uma sala perto de esgotar, resta-me apenas dizer, até à próxima Paradise Garage!


Texto: Mariana Pisa
Fotos: Joana Marçal Carriço (todas as fotos no nosso facebook aqui,)
Agradecimentos: Prime Artists

Veja também: