09/11/2018

[Report] SoundBay Fest 2018 no RCA Club


E começou cedo mais uma edição daquele que se caracteriza como um festival indoor urbano dedicado aos novos sons da música alternativa que desta fez ressuscitou, coincidência ou não, justamente após o dia de los muertos...

Depois de um "ano sabático", a Amazing Events, que promove o SoundBayFest desde 2015, conseguiu e muito bem aliciar os islandeses The Vintage Caravan a terminar a tour europeia #gatewaystour2018 no nosso país e logo com duas datas, no dia 2 no Hard Club no Porto e no dia 3 no RCA Club em Lisboa .

Já era sabido que os Caravan se faziam muito bem acompanhados pelos belgas Black Mirrors e pelos alemães Wucan. E para compor o já requintado cartaz juntaram-se os portugueses The Black Wizards, Her Name Was Fire, Parpar e The Crazy Left Experience.
Crazy Left Caravan | (c) Dado Antunes
Foram precisamente estes últimos que se encarregaram de fazer as honras de abertura da casa e fazer o pessoal mergulhar na sua interpretação da criação do universo...um jam muito espa(e)cial para aquecer a bela noite que se previa...

Parpar | (c) Dado Antunes
 Seguiram-se os Parpar... "an experimental music duo that ties free jazz with noise rock" que invulgares como são, tocaram ao nível do público que seguramente não ficaram indiferentes a esta bipolar actuação de bateria, saxofone e efeitos qb...

Já perto das 20h, deu-se inicio à primeira actuação estrangeira da noite...os Black Mirrors, liderados pela bela Funky Queen, Marcella Di Troia que encantou uma já mais composta plateia...
Black Mirrors | (c) Dado Antunes
Para quem não conhece os Black Mirrors, estes são uma banda de rock de garagem influenciados entre outros por Janis Joplin, Jack White, Led Zeppelin, Queens Of The Stone Age e/ou Jimi Hendrix, palavras da própria Marcella...

Shoes for Booze/Günther Kimmich foram as escolhidas para iniciar um energético espectáculo que não defraudou em nada os que ali se deslocaram para os ver... Pecado foi a hora prematura a que subiram ao palco bem como o pouco tempo em que permaneceram nele...soube a pouco...mas seguramente que os veremos brevemente...

E deixem-me aproveitar este intervalo entre bandas para referir aqueles que foram também a surpresa da noite...

Designam-se de Visual Echoes, e são um grupo de amigos, ainda estudantes que se dedicou (incansavelmente) a proporcionar experiências analógicas como pano de fundo para os espectáculos destas bandas...

Foram momentos únicos e irrepetíveis com misturas liquidas sob as lâmpadas quentes de projectores de acetatos (que bom uso para estas máquinas fósseis!!!) que muito bem serviram a ajudar nestas psicadélicas viagens...

Seguiu-se mais um duo, já bem conhecido dos Stoners portugueses… Os Her Name Was Fire que encheram a casa com o seu arrebatador som de guitarra e bateria...
Her Name Was Fire | (c) Dado Antunes
Quem os vê pela primeira vez poderá ficar intrigado com tamanho pedal board, mas meus amigos, mal o primeiro riff se faz soar, tamanho emaranhado de cabos e micro electrónica está totalmente justificado, um poderoso som que nos agarra do primeiro ao ultimo minuto, tamanha é a stamina destes Rebels you gotta love...

Take My Soul, Gone in a Gaze, Wrong e Way to Control foram algumas das malhas que fizeram parte do repertório electrizante destes demolidores lisboetas.

E terminam uns e já estão outros prontos para tocar...mais um momento de lufa lufa de técnicos e elementos das bandas a colocar e retirar material do palco e a afinar últimos retoques do curto check sound... Parece quase um spoiler ver os elementos das bandas já vestidos e maquilhados em momento pré-show a ligar cabos e fazer últimos ajustes mas por outro lado mostra também uma humildade que faz com que os próprios fãs se sintam mais próximos dos seus ídolos... ver Francis a preparar o seu theremin cria uma enorme curiosidade... que bruxaria estaria para chegar?!!!!
Wucan | (c) Dado Antunes
E foi com grande coragem que os Wucan nos presentearam com o seu som retro-folk-heavy-rock... coragem porque é preciso tê-los no lugar para, numa primeira visita, começar a sua actuação com duas musicas que juntas ocuparam cerca de meia hora... Enfeitiçados pela sua mestria e exotismo conquistaram muito público por esta primeira passagem por Portugal.

Sacaram de quase todos os seus "hits" (ainda não são muitos!)... Wie die, Father Storm, Rat Catcher e ainda ouve tempo para mostrar o novo single Night Fall e uma excepcional interpretação de "Am I Evil" dos Diamond Head com espaço para estes estupendos músicos brilharem com solos individuais...

E a noite prosseguiu num nível muito elevado de qualidade com os The Black Wizards, que nos trouxeram o seu som mais stoner/bluesy proporcionalmente equilibrado, intercalando entre malhas bem hendrixianas de Lake of Fire e What the Fuzz!
Black Wizards | (c) Dado Antunes
No andar de cima, incansáveis, os Visual Echoes, continuavam a fazer a sua arte... e que bem que pintou nos momentos de maior êxtase em que Joana mostrava toda a sua perícia nas seis cordas, espectacularmente acompanhada por uma bem compacta secção rítmica e um prodigioso braço direito.

É difícil ficar imparcial entre o jogo de pés de Joana num momento de total regozijo ou o vibrato da sua voz nas fases mais intimistas... São momentos como os que se viveram no passado sábado que consagram os The Black Wizards como uma das bandas mais maduras do panorama stoner português.

E para o final,depois de 6 bandas e muitos riffs... Chegam os tão esperados The Vintage Caravan...
Vintage Caravan | (c) Dado Antunes
Depois de três intensas semanas na estrada, os islandeses terminam a tour como se a estivessem a começar... Super energéticos, Oskar, Alexander e Stefan mostraram-se sempre muito simpáticos e super divertidos.

O setlist que trouxeram não foi muito diferente do apresentado durante toda a tournée...e por esta altura já muito bem ensaiado...

Começaram com o primeiro single do seu último trabalho "Set Your Sights" para rapidamente mergulharem em "Crazy Horses", "Let Me Be" e "Midnight Medication" que desencadeou o momento de party tão fervorosamente solicitado por Alexander, o baixista...

O público (elementos das outras bandas inclusive), correspondeu muito bem sendo vários os momentos em que pareciam verdadeiros electrões numa máquina de flippers e a banda fez questão de dedicar "On the Run" aos seus companheiros de luta...

O show prosseguiu com o tema para o seu mais recente videoclip, entusiasticamente cantado por todos os presentes "Reset" (your Mind) com passagem para a poderosa entrada de "Babylon" e uma panóplia de malhas, palco para o frontman mostrar todo o seu virtuosismo... e que virtuosismo...

Destacamos "Innerverse" que começou com um introdução na guitarra muito "sexy", culminando com um momento fenomenal de guitarra / baixo que mal terminou, fez soltar um libertador e redondo "Foda-se" da plateia, daqueles que deixaria orgulhoso o próprio Millor Fernandes!!!
Vintage Caravan | (c) Dado Antunes
E já com o seu "bacalhau" original (umas duas ou três malhas atrás… partiu uma corda com tanta curtição!!!), o guitarrista foi o responsável por mais um momento hilariante, quando logo após o inicio de "Reflections" faz um pedido de "desconto de tempo" para afinar a guitarra...um compasso de espera dos outros dois elementos que também define o entrosamento deste trio.

E "Tune Out", tema que confessaram tocar muito poucas vezes fora do seu país, trouxe ao de cima o momento bluesy saudosista que culmina num crescendo muito escandinavo para num ápice voltar a rebentar com dois temas com "solos" de baixo, "Carousel" e "Expand Your Mind" com o público sempre a corresponder...

Para terminar estas 3 intensas semanas de tour, já tinha circulado nas redes sociais um pequeno vídeo com as três bandas a ensaiarem uma pequena jam, que resultou num daqueles "momentus" que realmente nos fazem tirar o rabo do sofá para ir a um concerto ao vivo...
[VER FOTO NO TOPO]
Um molho de excelentes músicos, num medley de helter skelter/whole lotta love e confettis à mistura que encerra da melhor forma um belíssimo festival que seguramente sofreu consequências no numero de adeptos devido ao atípico volume de concertos e festivais rock que ocorreram neste mesmo fim de semana… 

Texto: João Pereira (com contribuição de André Sousa)
Agradecimento pelas fotos a Dado Antunes. Visitem a página com todas as fotos AQUI.

Veja também: