13/11/2018

[Report] Alvalade Arise 2018: o Alentejo levou porrada da boa!

No passado dia 03 tivemos a 5ª edição do Alvalade Arise, um evento que conta com o apoio da Câmara Municipal de Santiago do Cacém e ao projeto "Atreve-te" e da Junta da Freguesia de Alvalade.

O evento começou por volta das 16:50h com Toxikull
Apesar de ainda estar pouca gente e iniciarmos com um volume de som um pouco alto para o espaço, rapidamente os devidos ajustes foram efetuados e foi possível usufruímos de uma excelente prestação da banda. 
Com o seu último trabalho, The Nightraiser e uma nova tournée programada a partir de Dezembro com Crystal Viper a banda encontra-se em franco crescimento. “Surrender or Die” foi o tema de encerramento deste concerto.

All Against iniciou pouco depois das 18h. A banda thrasher de Odivelas anda a promover o seu recente Feed The Machine e tivemos por isso oportunidade de ouvir os temas deste EP
Apesar de ainda não estar muita gente presente, a banda conseguiu algum movimento do público. Temas como “Feed The Machine”, “Strip You To The Bone” ou “Sociedade Hostil” já começam a ser reconhecidas e pudemos perceber que a aceitação tem sido bastante boa deste novo trabalho. 
Esta é uma banda com uma notória evolução num curto espaço de tempo e que mais uma vez nos presenteou com um concerto de qualidade. Ficamos ainda a saber que este seria o último concerto de André Carvalho.

Pull The Trigger foi a banda que se seguiu. 
A banda de Faro também trouxe o seu novo projeto, Mud e foi muito bem recebida pelo público. Com uma atitude de desafio e revolta como o estilo impõe foram mostrando toda a sua arte conquistando assim os presentes. O concerto terminou com uma mini wall of death.

Infelizmente não foi possível acompanhar os lisboetas Systemik Violence, pois a fome já apertava e saímos para jantar.

F.P.M. (Feio, Porco e Mau) arrancou às 20:45h também eles dispostos a pôr a audiência a mexer. 
Com uma energia contagiante Diogo fez questão de vir partilhar o pit e agitar as hostes. A banda subiu ao palco com o novo membro, Rafa na guitarra. O concerto foi todo ele dedicado ao saudoso Bifes e " Chance" foi o tema escolhido para uma homenagem mais sentida.

Posteriormente chegou-nos Midnight Priest e voltamos a ter Lex Thunder em palco. 
A esta altura o espaço já se encontrava bastante mais composto com um ambiente bastante agradável e familiar. A banda já é sem dúvida um nome de referência do género como ficou provado pela adesão e participação dos presentes. Ficámos ainda com a noticia de um novo trabalho a ser lançado em Fevereiro.

Os Mordaça subiram ao palco e vieram mostrar a razão pela qual Linda-a-Velha é uma zona de referência do hardcore nacional. 
Uma prestação intensa e entrega total foi o que recebemos do palco e em troca o público abriu o pit e fez a festa. “Tiro P’la Culatra” foi o tema escolhido em forma de agradecimento ao Emanuel Silva e à HELL XIS.

Com Destroyers Of All já contamos com a qualidade nos concertos com que a banda nos tem vindo a habituar e no Alvalade Arise não foi excepção. 
A banda continua extremamente consistente e competente com um João Mateus, sempre a puxar pelo público transmitindo grande energia e animando todo o espaço.

Festa que é festa termina com Bizarra Locomotiva. E que festa foi! 
A banda encontra-se este ano a celebrar os vigésimo quinto aniversário com a XXV anos tour e tem tocado assiduamente de Norte a Sul do país. Desta vez Alvalade foi o local selecionado e nós agradecemos. 
Se dúvidas ainda houvessem do bom ambiente que se vive por terras alentejanas, Rui Sidónio mostrou o quanto todos nos encontrávamos satisfeitos de ali estar. 
O concerto foi cantado praticamente todo no pit e em coro numa partilha e cumplicidade únicas. A “escumalha” éramos todos e todos cantamos com Sidónio. Indescritível!
Podemos ver este ano a evolução de um evento que tem tudo para continuar subsistir. Foi um cartaz de eleição com uma qualidade de som de excelência e com um espaço cá fora cada vez melhor aproveitado para merch, restauração e onde podemos conviver com a “tribo”. A sinergia que continua a existir entre o evento e os restaurantes das proximidades também é algo a elogiar.

Sempre de relembrar que parte do cachet reverte a favor da Associação dos Bombeiros Voluntários de Alvalade tal como no ano anterior.

Que a persistência das duas “almas metaleiras” em levar o metal nacional para a MimosaAlvalade continue por muitos anos.
Estamos convosco!!

Texto: Margarida Salgado

Agradecimento especial pelas fotos ao nosso amigo Luis Sousa. 

Podem encontrar todas na sua página AQUI ou clicando abaixo no respectivo álbum:

Veja também: