22/01/2015

Entrevista | Earth Drive com novo EP e vídeo

Os Earth Drive, oriundos do Montijo, acabam de lançar “Raid”, o novo single. 

A banda formada em 2007, oriunda do Montijo, com influências de Stoner Rock, une a melodia na voz de Sara Antunes (vocalista),  a um tom mais pesado e cru de Hermano Marques (vocalista/guitarrista) a riffs mais pesados, nuances psicadélicas no baixo com Luís Silva e uma bateria poderosa com Luís Eustáquio 
Com um E.P. lançado em 2012 “Ink Storm”, chega-nos agora este novo trabalho, "Known By The Ancients" que estará disponível já no próximo dia 26 de Janeiro, e podem já ouvir a faixa de avanço, "Raid", no vídeo abaixo.. Fomos saber mais numa entrevista à banda:
ACTUALIZADO 27/01/2015 : EP DISPONÌVEL PARA AUDIÇÃO AQUI:


SFTD Radio: Earth Drive sugere-nos uma ligação à natureza? Como surgiu o nome e quais as vossas influências?
Earth Drive: Sim, de facto remete-nos para essa ligação.  Ficamos satisfeitos que assim seja percepcionado. O nome surge naturalmente na medida em que o mesmo já está intrinsecamente e impregnado em todos nós e numa altura em que precisavamos da mais poderosa fonte de energia  da qual fazemos parte surgiu Earth Drive.
Queríamos conectar  e mergulhar a nossa criatividade com um espectro mais profundo do inconsciente colectivo da humanidade e este nome poderia unir-nos nessa abordagem e fazer emergir alguma sonoridade que nos transcendesse e liga-se espiritualmente ao todo.
Fomos influenciados fundamentalmente pelos 90´s com a cena de Seattle (Alice in chains, Pj, Nirvana, Soundgarden, Mudhoney, Melvins) e dai abrem-se portas para os Kyuss e para o universo Stoner rock.  
Fomos sempre muito influenciados pelos Tool quer pelo som quer pelo conhecimento e pela abordagem conceptual que a banda transmite, pela estética futurista dos Deftones e talvez pelas texturas oníricas dos A Perfect Circle e depois por algumas cenas do post rock God Speed You Black Emperor, Explosions e The Sky, Russian Circles, Red Sparrows etc.
Sentimos obviamente  a influência de muitas bandas nacionais com muita qualidade tal como de outras bandas locais e vizinhas que também trabalham a sério como os Moes Implosion, Marbles, Satguru, Rés do Chão, Mogno e os já extintos Ocelot Kid, e tentamos elevar o nosso trabalho também a esse patamar. Sentimos que existe já uma boa cena de bandas locais que está começar a surgir e isso satisfaz-nos muito.

SFTD: Foram vocês que gravaram e masterizaram o E.P. “Ink Storm” em 2012. Como foi esta produção “do it yourself” ?
E.D.: Foi uma experiência que nos permitiu solidificar a ideia de que podemos realmente fazer tudo no nosso estúdio. Já tinhamos  gravado a demo “Take it down” no “Arma” (Estudio de Earth Drive) com a ajuda do osga (Flávio Costa dos Marbles) que tinha na altura uma tascam e nós os micros. 
O Ink Storm gravamos da mesma forma mas já tentamos  gravar e misturar e tudo sozinhos (Não correu tão bem J). Ficou de facto esse experiência e aprendizagem que potenciou o sentimento de que seria útil investir em material para gravarmos tudo nós no próximo Ep “Known by the Ancients”.
Como temos algumas limitações técnicas pedimos ajuda ao André Eusébio para misturar o mesmo .  Já estava por perto durante as captações de bateria, em que também ajudou, e como já fez parte da banda, entendia o nosso som e demonstrou grande disponibilidade e motivação para abraçar o projecto continuou a ajudar-nos.

SFTD: Qual a recepção por parte do público e o que têm feito desde essa altura?
E.D.: Tem sido muito gradual e a pulso. Não somos uma banda que reúna uma grande base de fans até porque temos tido algumas dificuldades e contrariedades que nos limitavam de alguma forma a apresentação do nosso trabalho e o mesmo nunca chegava a ser promovido da melhor forma até porque sentiamos que não estava ainda com a qualidade que as pessoas mereciam ouvir.No entanto as reacções do público têm sido positivas sempre que apresentamos o nosso trabalho ao vivo e as negativas que surgem servem sempre para melhorar o que fazemos.  Nós apesar de já andarmos a praticar este estilo há muito tempo ainda sentimos que a maior parte do público que gosta e simpatiza com este género não nos conhece.  Mas esperamos contrariar isso a partir de agora com mais regularidade de concertos e apresentação de trabalhos com mais qualidade.

SFTD: Em 2014 participaram em “Emergência”,o concurso de novos projectos musicais em Almeirim. Que tal foi a vossa experiência?
E.D.: Essa experiência foi fantástica. Foi  a única vez que ganhamos efectivamente um concurso e o sentimento foi obviamente muito bom.
Já tinhamos participado no concurso de Odmira onde tinhamos passado duas eliminatórias e fomos selecionados para participar no festival MIRAFEST 2014.
Nós nunca gostámos muito de participar em concursos porque sabemos que é bastante injusto julgarmos diferentes estilos e expressões artisticas e considerá-la melhor que A, B ou C. 
No entanto decidimos participar neste concurso pelas caracteristicas do concurso e pela oportunidade  de rever amigos dos Dream Circus.

SFTD: Apresentam-nos agora o novo single “Raid”. Em que se inspiraram e o que podemos esperar nos próximos tempos? Temos álbum à vista? 
E.D.: Raid surge de um sentimento comum relativamente à forma como todos percebemos que quase nos estavam a expulsar do país e de que o mesmo quase que estava  a ser “ atacado”. Várias entrevistas  e outras comunicações sugeriam que os jovens deveriam abandonar o país e agarrar uma oportunidade lá fora. 
Não somos uma banda de intervenção politica nem o queremos ser. Não somos de direita, centro, esquerda. Mas na nossa pura e inocente opinião,  todos vivemos num país de gente civilizada e portanto não faz sentido que as pessoas sejam obrigadas a sair para poderem viver e concretizar os seus sonhos e projectos no país onde vivem.
Deve haver sim espírito empreendedor e aventureiro para experiências fora do país mas sem que isso seja uma obrigatoriedade devido à falta de competência de quem nos governa ou devido a outras manipulações que limitam o desenvolvimento do nosso país e do potencial que existe em todos nós.
Podem esperar que a banda continue a trabalhar e a expressar-se artisticamente sempre de uma forma autêntica, livre e honesta relativamente ao seu processo criativo.
Este EP é a primeira metade do trabalho que temos pronto e em breve haverão mais notícias sobre o que temos para mostrar.
Relativamente a concertos temos o concerto de apresentação que está para breve a sua divulgação e outras datas ainda por confirmar. 

Fica aqui o novo vídeo, "Raid":



Os Earth Drive (https://www.facebook.com/earthdrivesound/) são:
Hermano Marques - Voz e Guitarra
Luis Silva - Baixo
Luis Eustáquio - Bateria
Sara Antunes - Voz

Entrevista: Inês Matos


Para ler também: Reportagem de Earth Drive e Dream Circus no Fantasma

Veja também: