11/12/2011

Music Contest-1st Round (Ultrasound Studio) & Angelus Apatrida@InLive Caffe (09/12/2011)

Mesmo numa noite de nevoeiro denso, o concurso de bandas da Ultrasound Studios seguido do concerto de Angelus Apátrida, conseguiu atrair umas boas dezenas de pessoas ao bar InLive Caffe, na Moita.

Este primeira etapa do concurso teve a participação de quatro bandas, todas elas tendo cerca de vinte minutos para fazer a sua actuação e angariar o maior número de votos possíveis por parte do público presente. E foi com esse objectivo em mente, que pouco após das 22h30 , a primeira banda subiu ao palco, Break Inside.

Break Inside, é uma banda composta por quatro membros da zona do Entroncamento, Santarém e tocam um estilo de música rock alternativo. Começaram com o tema I’m Inside Your Head, cuja vocalista Lina começou a cantar tímida e pouco à vontade. Era notória a sua inspiração em cantoras como Amy Lee da banda Evanescense e apesar de ter uma voz agradável e melodiosa, sentia-se a sua falta de garra e intensidade que a música pedia que existisse. A nível de composição musical, destacaram-se os momentos cujos músicos evoluíam de um estilo rock para um misto de nu-metal, dando-lhe características e composições interessantes. Na sua última música What I Am, a vocalista estava já com um pouco mais de energia e a tentar cativar os presentes, mas mesmo assim quando terminaram o concerto, só foi capaz de olhar para o público na sua última frase. Não conseguiram nitidamente estabelecer o elo com o público que naquela noite era imprescindível.

SET LIST:
I’m Inside Your Head
Will I Be Able
Ground Zero
What I Am

A segunda banda, Hate in Flesh, com um álbum lançado já este ano, são uma banda com um som pesado e melódico e forte presença em palco. Começaram com o tema My Last War e a partir daí seguiram um percurso sem grandes pausas entre músicas e sempre com garra e energia que o estilo de música pedia. Apesar dos constantes pedidos por parte de Maiko, o vocalista, para a participação do público, este não participou como evidentemente queriam mas não os impediu de apresentar o seu trabalho com intensidade e profissionalismo. A voz teve alguns problemas técnicos, visto que o cabo do microfone teimava em desligar-se, mas o gutural era intenso. Pareceu haver durante o concerto algumas falhas a nível da percussão, mas foram subtis. Terminaram com Dead Man.

SET LIST:
My Last War
Rebirth of Rotten Souls
Mad Red Circle
Hate Me
Dead Man

Crossed Fire foi a terceira banda a subir ao palco. Surgiu dum grupo de amigos que se juntou apenas no ano passado e foi a partir daí que as ideias e composições foram surgindo, resultando naquilo que pudemos observar neste concerto. Tocam um estilo de trash metal pesado e de qualidade e foi com esse espírito que começaram a tocar Final Cost. O vocalista, David, tinha uma energia em palco que conseguiu finalmente contagiar o público. Andando dum lado para o outro e cantando com garra. No entanto as falhas técnicas surgiram, a cinta do baixo partiu, tendo de ser substituída e esteve a tocar apenas com 3 cordas. Mesmo assim, conseguiram fazer uma boa prestação do início ao fim e cativaram muitos dos presentes. Terminaram com Kill.

SET LIST:
Intro
Final Cost
Criminal Mistakes
T.N.B.O
Portuguese Licour
Kill

Ancient Horde foi a última banda em concurso e tinham algo a seu favor, eram uma banda local. Também formada no ano passado, tem um estilo musical um pouco mais virado para o Metal oldshool e têm várias influências do metal tornando o seu estilo pesado mas com uns riffs de guitarra muito bem executados e melodiosos. Começaram com Call to Battle, mas houve um problema técnico na voz que esteve sem som nos primeiros momentos da música. O ponto menos positivo era sem dúvida o vocalista, Sérgio, não tinha intensidade e a energia que a música merecia. Se não fosse a presença da segunda voz a banda perderia todo o seu valor. Para além disso vestia uma camisola de malha, algo que não é normal, para além de indicar uma falta de atenção na imagem da banda, algo que deveria estar igualmente pensado e principalmente estando num concurso. Todos os pormenores devem ser observados e levados em conta. Houve os primeiros momentos de mosh na frente do palco. Terminaram com Blasting Metal.

SET LIST:
Intro
Call to Battle
Old Ways Cult
Heavyfuckers of Trashmageddon
Under The Banners
Blasting Metal

Após uma pausa um pouco mais prolongada para preparação do palco e sound check, foi a vez de Angelus Apatrida, a banda convidada pela Ultrasound Studios, pisar o palco. Esta é considerada como uma das mais bandas mais importantes de trash metal em Espanha. Com músicas aceleradas, riffs de guitarra potentes e letras agressivas, os Angelus fizeram uma prestação excelente com temas do seu último álbum Clock Work e do anterior Give ‘Em War. Foi na segunda música Blast Off que os moshes começaram e foram ganhando vida ao longo de todo o concerto.

O vocalista Guillermo, esteve sempre a interagir com o público e tinha uma grande energia em palco. A sua voz era melodiosa e vigorosa e o som das guitarras com os seus riffs fabulosos confirmavam a consistência da banda sempre em sintonia com as batidas vigorosas de Victor Valera na bateria.

Pouco antes do fim, tocaram Versus The World, um tema do seu primeiro álbum Evil Unleashed e terminaram com Domination, uma música de Pantera e em memória do guitarrista Dimebag Darrell que morreu em Dezembro de 2004. Após vários elogios à banda portuguesa Switchtense, convidaram Hugo, o vocalista, a cantar com eles e a terminar um concerto cheio de intensidade e qualidade. A banda está actualmente a gravar o novo álbum com a Ultrasound Studios.



SET LIST:

Clock Work
Blast Off
Free Your Soul
Of Men and Tyrants
One Side War
Corruption
Give ‘Em War
Legally Brainwashed
Versus The World
Vomitive
Trash Attack
Domination (Pantera)





Por: Miriam Mateus

Fotos: Nuno Santos

Veja também: